DENIS COSTA

Nunca pare de mandar currículo

27/06/2015

Mandar currículos, normalmente, é sinônimo de desemprego. Mas nesse texto vou mostrar como usar essa prática a seu favor mesmo empregado, podendo testar o mercado que você trabalha, validar se o seu salário está na média praticada pelo mercado e muito mais.

Síndrome de Embraer

OBS: Eu nunca ouvi o termo "Síndrome de Embraer". Aparentemente eu inventei. Mas se você quiser usar em um estudo sociológico ou algo do gênero fique a vontade. =D

Em São José dos Campos, cidade onde moro, tem uma fábrica gigante da Embraer. Que pra quem não sabe é uma das maiores empresas da indústria da aviação do mundo. A Embraer costuma pagar muito bem seus funcionários. Do engenheiro até os empregados das linhas de montagem. Mas alguns dos cargos que existem lá, principalmente do chão de fábrica não existem em outras empresa. Pelo menos não no Brasil.

Como toda empresa, a Embraer já passou por crises, e precisou demitir muitos dos funcionários. E vários desses funcionários não perceberam que viviam em uma bolha. O conhecimento que eles exerciam lá não seria muito útil em outras empresas. E provavelmente não vão conseguir outro emprego com um salário nem próximo do que recebiam na Embraer.

Amigos meus já me falaram de histórias de seus pais e amigos que entraram em depressão depois de passar por isso.

A Embraer, é apenas um exemplo. Mas esse tipo de bolha infelizmente não é raro.

Fique atento às vagas nas empresas que você admira

Pra saber o que o mercado tem cobrado, a coisa mais fácil a se fazer é acompanhar as vagas nas empresas que mais se destacam no mercado que você gostaria de trabalhar. Além de não ter o trabalho (que trabalho duro, né?) de mandar currículos, essas vagas já te dão um bom indício do que o mercado está exigindo dos empregados hoje em dia.

E obviamente, várias dessas vagas vão pedir conhecimento que você não domina. Esse é um bom indicador do que você precisa para se manter atualizado e não vir a sofrer da "Síndrome de Embraer".

Seu currículo é bom o suficiente?

Mandar currículo para vagas nessas empresas, mesmo que você não queira mudar de emprego, vai validar as suas suposições sobre a sua empregabilidade.

A um certo tempo, eu queria fazer intercâmbio, e não tinha currículo em inglês. Resolvi traduzir o meu e testar em uma grande multinacional da minha área. Fui chamado para fazer uma primeira entrevista. Obviamente eu falei não, pois eu queria mesmo era fazer o tal do intercâmbio. Mas essa ação que me custou 10 minutos, já validou se o meu currículo em inglês era razoavelmente legível e inspirava interesse.

O seu salário é justo?

Falar de dinheiro é tabu pra muita gente e eu pretendo falar de maneira mais profunda sobre isso em outro blog post. Mas geralmente, não saber o seu valor de mercado indica de que você está sendo mal pago.

Ir para a segunda fase de um processo seletivo, já indica que sua atual experiência não é muito diferente da necessidade do mercado. Mas também vai te ajudar a validar o seu salário em relação ao que o mercado está pagando.

Vai que cola...

Todos os argumentos que usei neste texto independem de você estar procurando uma nova oportunidade ou não. Mas e se uma dessas empresas te oferecer uma oportunidade irrecusável? Negociar quando você não precisa te dá enormes vantagens. Você não está desesperado, pode negociar com calma e chegar em um ótimo acordo.

E se meu chefe descobrir?

Muitas empresas veem com maus olhos seus funcionários participando de processos seletivos em outras empresas. Se o seu chefe vier falar com você, eu recomendo falar algumas dessas verdades:

Tudo isso demostra que você não quer ficar para trás em relação ao que está rolando nas outras empresas/startups. E faz de você um bom empregado.

Conclusões

Manter um currículo atualizado, uma boa rede de contatos e estar atento ao mercado te dá vantagens na hora de negociar um aumento, saber que nova tecnologia estudar, ou mesmo trocar de emprego.

Tags:
comments powered by Disqus